A historia nos mostra que uma vasta sequencia de decisões equivocadas no campo das políticas urbanas e de transportes comprometeram significativamente os sistemas de circulação e a qualidade de vida nas grandes cidades brasileiras. As medidas adotadas sempre privilegiaram o uso do automóvel em detrimento do uso do transporte público, da segurança de pedestres e da preservação das condições ambientais.

O uso indiscriminado das vias públicas para o tráfego de veículos, sem uma adequada hierarquização viária, gera degradação ambiental, aumento do número de acidentes, lentidão no fluxo de tráfego, entre outros diversos problemas.

A realidade do bairro do Planalto Paulista não foge a essa regra. Suas vias locais transformaram-se em coletoras e verdadeiras artérias, gerando intenso tráfego de passagem em um bairro estritamente residencial. “Na busca de soluções para os problemas enfrentados, a Sociedade dos Amigos do Planalto Paulista (SAPP) apresenta esse estudo, baseando-se nos princípios de ‘traffic calming” e áreas ambientais.

Traffic calming pode ser entendido, de forma mais ampla, como uma política geral de circulação e transportes que inclui, além da redução da velocidade média no local, um grande incentivo ao tráfego de pedestres, ao ciclismo, ao transporte público e à renovação urbana. Em um sentido restrito, ele pode ser considerado como um conjunto de medidas que objetivam a redução de velocidade dos veículos, amenizando o impacto ambiental provocado por esses automóveis.

Tecnicamente, traffic calming é o termo que designa a regulamentação  de medidas físicas para controlar a velocidade e induzir os motoristas a um modo de dirigir mais apropriado à segurança e ao meio ambiente. Dessa forma, essas intervenções propiciam a abertura de espaços que assumem as feições de residência, ponto de encontro, recreação e área de lazer, dando suporte ao tráfego, mas sem função para o tráfego de passagem.

Sapp projeto do plano viário 

O projeto foi desenvolvido por meio da Comissão de Urbanismo da SAPP com a consultoria técnica da Arquiteta Betina Lorenzetti, com a equipe da Gerência de Projetos Viários da CET.

O objetivo inicial do projeto é a diminuição do tráfego de passagem, com intervenções no anel externo do bairro, compreendido pelas avenidas dos Bandeirantes, Moreira Guimarães, José Maria Whitaker, e entorno da Av. Jabaquara junto à Igreja de São Judas Tadeu com os acessos às avenidas Itacira, Irerê e Ceci.

ínicio | topo da página