Na próxima segunda-feira (17), o Ministério da Saúde dará início à Campanha Nacional de Vacinação Contra a Influenza, em que serão vacinadas mais de 54 milhões de pessoas que integram os grupos prioritários. O ministério adquiriu 60 milhões de doses para a imunização.

Público-alvo
> Pessoas de 60 anos ou mais
> Crianças de 6 meses a 5 anos
> Trabalhadores da saúde
> Professores
> Indígenas
> Gestantes e puérperas (até 45 dias após o parto)
> Portadores de doenças crônicas
> Presos e jovens que cumprem medidas socioeducativas
> Funcionários do sistema prisional

Cronograma da Campanha de Vacinação Contra Gripe 2017:

Etapa 1 – a partir de 10 de abril: trabalhadores de saúde dos hospitais
Etapa 2 – a partir de 17 de abril: trabalhadores de saúde dos serviços públicos e privados e idosos com 60 anos ou mais de idade
Etapa 3 – a partir de 24 de abril: indígenas, gestantes, mulheres que acabaram de dar à luz, crianças com pelo menos seis meses e menores de cinco anos
Etapa 4 – a partir de 2 de maio: pacientes com doenças crônicas e comorbidades
Etapa 5 – a partir de 8 de maio: professores da rede pública e privada e todos os outros grupos anteriores
Dia 13 de maio – “Dia D”, com postos abertos em todo o país.
26 de maio – Fim da campanha

Contra quais vírus a vacina protege?
A vacina dada na rede pública é a trivalente, contra três tipos de vírus da gripe, definidos a cada ano pela OMS –em geral, são variações do A (H1N1), A (H3N2) e B. Na rede privada também é oferecida a quadrivalente, contra mais um tipo.

Ela é 100% eficiente? É segura?
A eficácia da vacina é de 60% a 90%, dependendo da idade do paciente e de fatores como infecções e doenças crônicas. Ela é segura; o máximo que pode acontecer são dores locais, febre baixa e mal-estar.

Quanto tempo ela dura?
Ela demora cerca de 15 dias para começar a fazer efeito e é útil por aproximadamente um ano. Normalmente as cepas mudam, por isso é preciso se vacinar todo ano, mesmo se você já foi infectado alguma vez na vida.

Quem não pode tomar?
Bebês menores de 6 meses e quem já teve reações anafiláticas em aplicações anteriores. Quem teve a síndrome de Guillain-Barré ou tem reações alérgicas graves a ovo –a vacina contém traços de proteínas do alimento– também deve ter cautela.

Estou resfriado, posso tomar a vacina?
Sim, desde que não esteja com febre.

Qual é a diferença entre gripe e resfriado?
No resfriado, os sintomas são nariz escorrendo, espirros, um pouco de dor no corpo e às vezes febre baixa e tosse. Já a gripe se inicia de repente e tem como principais marcas febre alta, tosse seca e fortes dores no corpo e de garganta. Ela também pode evoluir e provocar complicações no pulmão, resultando em falta de ar.

Fontes: Portal Brasil, com informações do Ministério da Saúde e Organização Mundial da Saúde.

 

 

Postado dia 16 de abril , 2017

ínicio | topo da página